"Tendo cingidos os vossos lombos com a verdade..." Efésios 6:14a


Conjugando a verdade no passado, presente e futuro.

Apesar da provável inspiração que soldado romano deu ao apóstolo Paulo, aludir a verdade ao ato de cingir os lombos foi primeiro usado pelo profeta Isaias no versículo cinco do capítulo 11. Então, remontando à prisão domiciliar do apóstolo o soldado trouxe à memória de Paulo as referências que o profeta já usara.
Nos próximos versículos do texto em que é apresentada a Armadura de Deus, novas referências ao livro do profeta Isaias são feitas.

Duas palavras: cingir e verdade.
Primeiro a segunda que é muito mais primeira: Verdade.

O que é a verdade?

“Então, lhe disse Pilatos: Logo tu és rei? Respondeu-lhe Jesus: Tu dizes que sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve minha voz. Perguntou-lhe Pilatos: Que é a verdade? (João 18: 37-38a).”

A verdade: concepção humana.

Segundo Chauí (2008, p. 95) “Nossa ideia de verdade foi construída ao longo dos séculos com base em três concepções diferentes, vinda da língua grega, da latina e da hebraica.” Vejamos cada uma delas.

Na concepção grega, a verdade é aletheia, que significa o não oculto, o não, dissimulado e, como tal verdadeiro, é o que se manifesta aos olhos do corpo e do espírito, é a manifestação do que é ou existe tal como é. Sendo assim a verdade já está evidenciada nas coisas.

Na concepção latina verdade é veritas significando exatidão, precisão, rigor do que se refere á linguagem como expressão de fatos acontecidos, a relatos ou enunciados que dizem as coisas ao os fatos tais como foram acontecidos. Se nos colocarmos pelo lado da concepção latina podemos observar que ela se afirma na capacidade dos seres humanos em descrever com precisão um acontecimento.

Na concepção hebraica verdade é emunah, que significa confiança. Nessa concepção Deus e os seres humanos que são verdadeiros, mas são verdadeiros se cumprem o que prometem se não traem a confiança. A verdade aqui está relacionada com a esperança de cumprimento do que foi prometido.

Assim de uma forma mais resumida aletheia são e sempre serão as coisas tais como se manifesta agora ao nosso espírito, veritas aos fatos que foram relatados e emunah em relação às coisas que serão e que foram prometidas.

A verdade em efésios.

Paulo expõe o que é a verdade na própria carta aos Efésios do primeiro ao terceiro capítulo:

A posição do crente em Cristo. 1:1 – 3:21.
    A. Saudações. 1:1, 2.
    B. Todas as bênçãos espirituais. 1:3-14.
        1. Escolhidos pelo Pai. 1:3-6.
        2. Redimidos pelo Filho. 1:7-12.
        3. Selados pelo Espírito Santo. 1:13, 14.
    C. A primeira oração de Paulo. 1:15-23.
    D. Salvação pela graça. 2:1-10.
        1. O que fomos no passado. 2:1-3.
        2. O que somos no presente. 2:4 -6.
        3. O que seremos no futuro. 2:7-10.
    E. Unidade dos judeus e gentios em Cristo. 2:1 1-22.
        1. O que os gentios eram sem Cristo. 2:11, 12.
        2. Um só corpo. 2:13-18.
        3. Um só edifício. 2:19-22.
    F. A revelação do mistério. 3:1-13.
        1. A dispensação da graça de Deus. 3:1-6.
        2. A comunhão do mistério. 3:7-13.
    G. A segunda oração de Paulo. 3:14-21.


Efésios é a exemplificação da concepção de verdade como compreendida pela visão latina e judaica: o relato real em descrição fiel e a esperança do cumprimento da promessa feita aos judeus desde a antiguidade. Essa mesma estrutura abarca toda bíblia desde Gêneses a Apocalipse. Mas ainda fica de fora a primeira concepção da verdade, a concepção grega de que verdade é a coisa manifesta.

Paulo no início do capitulo quatro da carta aos efésios faz um rogo àqueles crentes:
“Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados.” - Efésios 4:1.
Entendo que o atendimento a esse rogo é a manifestação da concepção de verdade como os gregos a compreendiam. Andar como é digno da vocação com que fomos chamados é mostrar a verdade. Então se por um lado a verdade é o que fielmente está relatado no passado e por outro é a esperança no futuro, cabe ao crente ser a verdade do tempo presente e faze-la manifesta como na concepção aletheia.

Agora a primeira que não poderia ser segunda: Cingir

Significado de Cingir

v.t.d e v.bit. Cercar, circundar, colocar algo em si próprio.
v.t.d. v.bit e v.pron. Agarrar-se em alguma coisa. Estar envolto a; envolver alguma coisa, ornar. Figurado. Unir ou estar muito próximo de.
v.t.d e v.pron. Pôr alguma coisa sobre ou na cabeça, coroar.

Sinônimo de cingir: abarcar, abraçar, abranger, circundar, coroar, enfaixar, ligar, precingir.

Cingir basicamente e cobrir-se de alguma coisa. Voltando à imagem do soldado romano, antes de vestir a armadura era necessário cobrir-se com uma espécie de manto, uma vestimenta que envolvia o corpo antes de receber a armadura. Então o cingir os vossos lobos com a verdade, mantendo essa concepção seria recobrir-se, estar envolto, unir-se a verdade. E a fim de que tenhamos a verdade manifesta em nós no tempo presente é necessário que nos recubramos dela e isso constitui a necessidade básica para o soldado receber todas as demais peças da armadura.

Uma coisa que chama atenção é o como o verbo cingir é usado (tendo cingido) que dá uma ideia de ação concluída. De fato receber a verdade sobre si deve ser uma ação definitiva, finalizada.

Mas o que é a Verdade?

Apesar da concepção comum secular da verdade como conceito relativo, não se pode negar que existem verdades absolutas, que independem do ponto de vista individual. Também é inegavelmente que existe a Verdade. E ninguém em toda bíblia teve a mesma ousadia que o autor da frase “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” João 14:6. Então para manifestar a verdade e necessário conhecer a Verdade manifesta.

Respondendo a pergunta: o que é cingir os lombos com a verdade?

Entendendo a verdade como o que nos foi relatado sobre o ocorrido no passado e aquilo que esperamos que aconteça no futuro, falta-nos ser a verdade manifesta no presente. As duas pontas, passado e futuro, são encontradas na descrição das obras de Deus e essas expostas nos livros da bíblia, onde se descreve o início e o fim de todas as coisas e onde podemos encontrar a suprema manifestação da Verdade: a Vida de Cristo. E o fato de conhecer essa verdade e nela crer, faz com que o que crente seja a manifeste no presente.

Cingir os lobos com a verdade seria estar revestido da certeza das coisas que foram ditas e amparado pela certeza no futuro, manifestando a essa fé no presente.



Referências:


Comentários