"Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno." Efésios 6:16

Se é necessário estar firme e estável mantendo um estado de preparação, permanecer nesse estado exige que o soldado se proteja. Curioso é que o escudo é a única peça da armadura que aparece é apontada sua fnalidade específica.

O que é fé?

Mais do que lugar comum, definir fé a partir da etimologia é necessário. Fé tem duas raízes, uma na língua grega e outra na latina. Do latim vem fides, que significa fidelidade e do grego vem pistia, que indica a noção de acreditar. Então etimologicamente, fé além de crença é atitude de fidelidade a essa crença. Como disse o escritor da carta aos Hebreus: "Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem." (Hebreus 11:1). Depois desse trecho o autor da carta enumera uma quantidade enorme de homens e mulheres de Deus que pela fé fizeram maravilhas e suportaram os maiores sofrimentos. Foram fieis e mantiveram a
crença que os motivava, sendo considerados homens "dos quais o mundo não era digno" (v.38).

A Confissão de Fé de Westminster define a fé nos seguintes termos:

"I. A graça da fé, pela qual os eleitos são habilitados a crer para a salvação das suas almas, é a obra que o Espírito de Cristo faz nos corações deles, e é ordinariamente operada pelo ministério da palavra; por esse ministério, bem como pela administração dos sacramentos e pela oração, ela é aumentada e fortalecida.

Ref. Heb. 10:39; II Cor. 4:13; Ef. 1:17-20, e 2:8; Mat. 28:19-20; Rom. 10:14, 17: I Cor. 1:21; I Ped. 2:2; Rom. 1:16-17; Luc. 22:19; João 6:54-56; Rom. 6:11; Luc. 17:5, e 22:32.

II. Por essa fé o cristão, segundo a autoridade do mesmo Deus que fala em sua palavra, crê ser verdade tudo quanto nela é revelado, e age de conformidade com aquilo que cada passagem contém em particular, prestando obediência aos mandamentos, tremendo às ameaças e abraçando as promessas de Deus para esta vida e para a futura; porém os principais atos de fé salvadora são - aceitar e receber a Cristo e firmar-se só nele para a justificação, santificação e vida eterna, isto em virtude do pacto da graça.

Ref. João 6:42; I Tess. 2:13; I João 5:10; At. 24:14; Mat. 22:37-40; Rom. 16:26; Isa. 66:2; Heb. 11:13; I Tim. 6:8; João1:12; At. 16:31; Gal. 2:20; At. 15: 11.

III. Esta fé é de diferentes graus, é fraca ou forte; pode ser muitas vezes e de muitos modos assaltada e enfraquecida, mas sempre alcança a vitória, atingindo em muitos a uma perfeita segurança em Cristo, que é não somente o autor, como também o consumador da fé.

Ref. Rom. 4:19-20; Mat. 6:30, e 5: 10; Ef. 6:16; I João 4:5; Heb. 6:11, 12, 10:22 e 12:2."

Então fé é confiança e fidelidade, mas não de um modo que se produz como escolha pessoal, é obra da Graça e só pode ser dada pelo Todo Poderoso. Como disse o apóstolo Paulo "a fé vem pelo ouvir e o ouvir PELA palavra de Deus." (Rm 10:17). A verdadeira fé é irresistível e impossível de ser abdicada.

Nessa batalha ter um escudo dado pelo próprio Deus é maravilho!

Dardos Inflamados.

O curiosos nesse termo é o fato de serem dardos inflamados. Curioso por não ser uma arma que possa ser usada de perto, mas que é lançada de longe. Mas se por um lado podemos ficar "tranquilos" com relação à proximidade do inimigo, acredito que a preocupação deva residir na quantidade de dardos. Uma coisa que sempre chama minha atenção em cenas de guerras antigas nos filmes é o fato de nunca ser uma unica flecha/dardo a ser lançada, mas sempre uma quantidade enorme de flechas, igualmente numeroso é a quantidade de arqueiros a lançar as flechas. Contudo o que seriam esses dardos inflamados? 

Pela definição de fé, etimologicamente falando, temos que fé é a união de duas palavras que remetem a fidelidade e a confiança. Biblicamente falando, o escritor aos Hebreus define como firme fundamento do futuro (coisas que se esperam) e prova do presente (coisas que não se veem). Então partindo da definição do que é a proteção podemos chegar a conclusão do que é o objeto de ataque, os tais dardos inflamados. 

O que pode se contrapor à confiança e à fidelidade? O que pode derrubar as bases do futuro e limitar a visão do presente? Digo que nada pode derrubar esses elementos a não ser a dúvida. Como diz o escritor aos Hebreus "Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam." (cap. 11; vers. 6). Se não há crença na existência Dele, como poderíamos nos chegar a Ele? Se não cremos que Ele existe como poderíamos lhe ser fiel?

Um pouco de Lugar Comum

Disse o Apóstolo Pedro "Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar 1 Pedro 5:8". Antes desse trecho, Pedro indica a confiança em Deus como o remédio para todos os nossos problemas e dá a garantia de que "a seu tempo vos exalte[ará];1 Pedro 5:6b". A imagem de inimigos que necessitam da "prova das coisas que não se veem" para serem percebidos nos seus atos é bem comum. Não gosto de falar do diabo e seus anjos, mas é necessário levar em conta a sua existência para completar o senário dos dardos inflamados, já que estes são lançados pelo maligno.

Então se por um lado o escudo proteje o soldado, por outro existe a certeza de que dardos são e serão lançados minando a confiança e desestruturando as bases da fidelidades dos soldados de Deus. Mas pela fé podem ser apagados.

Comentários