Oração - Parte 1: Dois Exemplos de Como não se deve orar. - (Mateus 6;5 a 8 e Lucas 11:1)

Mesmo que você seja crente há muito tempo tenho certeza que já se perguntou sobre a melhor maneira de apresentar diante de Deus suas aflições, desejos e sonhos. Pensando na grandeza do nosso Deus, chegar-se diante daquele que está sobre tudo e todos, tenho certeza que deve causar um santo temor no coração daquele que tem consciência da soberania de nosso Deus.

Mas qual é a orientação da bíblia quanto à oração? Para responder a essa pergunta ninguém melhor do que Jesus Cristo. Nesse primeiro momento vamos nos ater ao texto que precede à oração conhecida como “oração do Pai nosso”, que está em Lucas 11; 1 e Mateus 6; 5 a 8. Vamos lá.

Lucas 11; 1 começa dizendo qual é a origem das orientações de Jesus quanto à forma de orar, e lá diz que nasceu de um desejo dos discípulos de saber de Jesus como se deve orar: “lhe disse um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos.” (Lucas 11:1b)

Jesus em resposta dá primeiro duas orientações usando dois exemplos de como não se deve orar.

Primeiro exemplo de como não se deve orar: “não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.” (Mateus 6:5b)

O alvo das orações deve ser Deus. Não deve ser usado como maneira de promover diante dos homens. Não quer dizer que não se deve orar em público, mas que mesmo em público não se deve esquecer que a oração deve ser entregue à Deus. Os hipócritas, pessoas que demonstram ser o que não são se apresentam ao povo e em voz alta ora para que os homens os considerem santos, religiosos e bons.

Então tenham consciência de que orando à Deus mesmo que em secreto  “teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.” (Mateus 6:6)

Segundo exemplo de como não se deve orar: “E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos.” (Mateus 6:7)

Usar de “vãs repetições” repetir a mesma oração palavra por palavra, atribuindo a essa repetição o fato de que seu pedido será atendido. É como fazem algumas religiões que acreditam que repetindo as  mesmas palavras diversas vezes Deus se compadecerá e o atenderá. Digo que se Ele o fizer não será por esse motivo. E jesus dá a razão pela qual não deve ser assim nossa oração: “porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes.” (Mateus 6:8)

Então temos duas orientações aqui de como deve ser nossa oração, baseadas em dois exemplos de como não se deve orar.

A primeira: a oração deve ser dirigida a Deus, não aos homens;

A segunda: a oração deve ser expontânea e sem usar repetições para que não corramos o risco de atribuir ao fato de repetir diversas vezes a mesma frase seremos atendidos.

Já antecipando a segunda parte texto devemos sempre manter nossa vontade abaixo da vontade de Deus, deixando a cargo Dele nos atender ou não. Amém. 

Comentários