O Evangelho Vencedor - Reflexão 4#

Cristãos coptas antes de serem assassinados pelo Estado Islâmico


Um evangelho de vitórias, de conquista, de prosperidade, em que as forças do mal não ousam lutar contra. Um Evangelho Vencedor que não admite derrota e determina Vitória e Deus ouve e atendente suas orações. Um evangelho que em que seu povo prospera e vive em abastança e paz.

Apesar desse ser o conceito de evangelho vencedor que está mais em voga,  queria mostrar que não isso que a História mostra nem o que a bíblia promete. Imagino o quanto serei impopular, mas tenho que escrever esse texto para que eu me lembre e para que quem queira saiba.

Os Apóstolos

Vamos começar pelos primeiros cristão: os Apóstolos. Todos foram martirizados. Decapitados, enforcados, apedrejados, crucificados. Com exceção de João Zebedeu, autor das epístolas, de um dos evangelhos e do Livro do Apocalipse que morreu de velhice em Éfeso depois de passar um período exilado na ilha de Pátmos. O restante foi assassinado por causa da fé em Cristo Jesus. 

Estes conviveram ou viram a Cristo, fizeram sinais e prodígios e seu conhecimento está reunido no Novo Testamento, interpretando e ampliando aquilo que foi revelado no Antigo Testamento. Foram fundamentais, foram de extrema importância e tiveram suas vidas formidavelmente usadas por Deus, mas não foram poupados da morte muitas vezes violenta e agonizante como a de Pedro que foi crucificado de cabeça para baixo a seu próprio pedido por se achar indigno de morrer como Cristo morrera, ou como Bartolomeu que teria sido esfolado vivo e, depois, decapitado pelo governador de Albanópolis, atual Derbent, na Russia.


A Igreja Primitiva

O Espirito Santo é como o vento que espalha a semente da boa nova. A fé que moveu os apóstolos deu frutos como havia de ser. Primeiramente em Jerusalém, depois em toda Judeia e Samaria, chegando aos confins da Terra. E esses frutos passaram pelas mesma perseguição que aqueles que lhes apresentaram o cristianismo.

Aconteceu primeiro pelas mãos dos judeus que teve Estevão como o primeiro mártir (Atos 7) como um prenúncio dos tempos que se seguiriam. O apóstolo Paulo, quando ainda se chamava Saulo, foi um feroz perseguidor de cristão.

Cristãos sendo usados como tochas humanas, na perseguição
 sob 
Nero, por Henryk Siemiradzki, Museu Nacional,CracóviaPolônia1876.
Em Roma, Nero que já tinha sanidade questionada ateou fogo na cidade. Em seus Anais, Tácito afirma que: “Para se ver livre do boato, Nero prendeu os culpados e infligiu as mais requintadas torturas em uma classe odiada por suas abominações, chamada cristãos pelo populacho". e depois 

"...uma grande multidão foi condenada não apenas pelo crime de incêndio mas por ódio contra a raça humana. E, em suas mortes, eles foram feitos objetos de esporte, pois foram amarrados nos esconderijos de bestas selvagens e feitos em pedaços por cães, ou cravados em cruzes, ou incendiados, e, ao fim do dia, eram queimados para servirem de luz noturna." - Tácito, Annales, XV.44. 

Esses horrores só cessaram quando um imperador romano tornou-se cristão, mas se acirraram em reinos rivais a Roma como entre os Persas. 

Igreja Contemporânea

Na Índia a perseguição se acirra, no Oriente Médio cristão são queimados vivos, na China, na Coreia do Norte ainda somos presos, torturados e mortos por causa do que cremos e queremos anunciar ao mundo que Jesus Cristo é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. 

Quase toda semana vemos notícias de que mais e mais cristão são executados por causa da fé em Cristo. E acredito que essa seja a maior expressão cristã daquele que chega às últimas consequências por causa da fé e que o real e verdadeiro cristianismo é o perseguido, não exaltado pelo mundo, "não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus?" Tiago 4:4

Todas as religiões são exaltadas, exceto o cristianismo. Todas são melhores opções, mais nobres e até mesmo mais úteis, menos o cristianismo. Claro que muito por culpa de joios no nosso meio, mas também por causa da nossa inimizade com  aquilo que sabemos desagradar nosso Deus.

O Apostolo Paulo chama atenção para o fato de que "não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados." 1 Coríntios 1:26. Então desconfio de todo e qualquer vertente religiosa de origem cristã que prometa exaltação, vitória e resposta sempre positiva de Deus.

Os cristãos são vencedores, mas não por critérios que o mundo considera como fatores de sucesso. Não por dinheiro, fama ou qualquer outra métrica que o mundo usa como indicativo sucesso, mas "somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou." Romanos 8:37.

Comentários