Quem é Jesus Cristo



"1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez." (João 1;1 - 3)

Apesar de seu nome não ser citado nesse trecho do Evangelho de João, é sobre Jesus que o apóstolo fala quando se refere ao Verbo que existe desde da eternidade com Deus.


Jesus Cristo Histórico


Jesus (em hebraico: ישוע/ יֵשׁוּעַ; transl.: Yeshua; em grego: Ἰησοῦς, Iesous),  nasceu entre 7–2 a.C e morreu por volta de 30–33 d.C. Sem dúvida é a pessoa mais importante da humanidade, visto que seus ensinamentos moldaram as culturas de metade do planeta e influencia a vida das pessoas mesmo mais de 2000 anos depois de seu nascimento.

Apesar de alguns duvidarem da sua existência e contestarem os evangelhos, existem provas documentais romanas, judaicas e gregas que corroboram, não só que Jesus existiu, mas que viveu na judeia, no período que os evangelistas descrevem.

O historiador de origem judaica Flávio Josefo  (37 ou 38 -. 100) escreveu o seguinte sobre o um certo "fazedor de milagres";
"… entretanto existia, naquele tempo, um certo Jesus, homem sábio... Era fazedor de milagres... ensinava de tal maneira que os homens o escutavam com prazer... Era o Cristo, e quando Pilatos o condenou a ser crucificado, esses que o amavam não o abandonaram e ele lhes apareceu no terceiro dia..."
O romano Públio Cornélio Tácito (56 d.C. – 120 d.C.) disse o seguinte quanto aos que seguiam um tal Cristo:
“… Nero infligiu as torturas mais refinadas a esses homens que sob o nome comum de cristãos, eram já marcados pela merecida das infâmias. O nome deles se originava de Cristo, que sob o reinado de Tibério, havia sofrido a pena de morte por um decreto do procurador Pôncio Pilatos…”
Urna de Tiago datada de aproximadamente 63 d.C
Além desses temos também registros de Plínio (62 d.C. – 114 d.C.), do escritor grego Luciano de Samosata, a urna de Tiago datada de 63 d.C, onde pode encontra-se escrita a seguinte inscrição  “Tiago, filho de José, irmão de Jesus”.

A existência de Jesus de Nazaré é mais e melhor documentada do que a de escritores clássicos como Homero, que não se tem prova de sua existência, ou ainda de Platão e Sócrates que apesar de possivelmente terem existido, não possuem as tantas evidências, de tanta qualidade quanto Jesus de Nazaré. Mas mesmo assim Cristo tem sua existência questionada.

O Messias


Apesar da nobreza e sacralidade que o título evoca entre nós cristãos, Jesus não foi o único a reivindicá-lo para si, mesmo tendo o feito em pouquíssimas ocasiões. Ainda hoje existem os que se dizem o messias ou ao menos os que são sua "reencarnação". O último mais conhecido (não, não é Inri Cristo), chamava-se Menachem Mendel Schneerson, um prodigioso rabino que impressionou a comunidade judaica e provavelmente reivindicaria o "messianato".

Mas por que podemos crer que Jesus de Nazaré, filho de carpinteiro, pregador itinerante era de fato o Messias de Deus?

O messias foi profetizado no Antigo Testamento por diversas vezes, 456 para ser mais exato e a fim de descobrir a probabilidade do cumprimento dessas profecias, um matemático chamado Peter Stoner pegou somente oito delas, as mais especificas e difíceis de se cumprirem numa unica pessoa e fez os cálculos.

As profecias escolhidas foram:

1. Jesus nasceu em Belém ( Mq 5:2 e Mt 2:6);

2. Ter sua vinda precedida por um mensageiro (Is 40:3 e Mt3:3);

3. Entraria em Jerusalém montado em jumentinho ( Zc9:9 e Mt 21:5);

4. Ter sido traído por amigo e discípulo ( Sl 41:9 e Mt 10:4)

5. Ele seria traído pelo preço de 30 moedas de prata ( Zc 11:12 e Mt 26:15);

6. O dinheiro seria atirado na casa de Deus ( Zc11:13b e Mt 27:5a);

7. Ter ficado mudo frente aos seus acusadores ( Is 53:7 e Mt 27:12);

8. Teria seus pés e mãos traspassados ( Sl 22:16 e Lc 23:33)

Observem que Stoner tomou as mais diferenciadas do que outras como, ser descendente de Abraão, Isaque, Jacó; ser descendente da tribo de Judá; ter as suas vestes sorteadas; operaria milagres, etc. Assim, Stoner relata em seu estudo das probabilidades que a chance de uma única pessoa ter cumprido em si mesmo as oito profecias mencionadas acima é de 1 em cada 1017, isto é, 1 em 10 elevado à décima-sétima potência. Isto seria 1 pessoa entre 100.000.000.000.000.000 ( 100 quatrilhões ). Para poder compreender este resultado, Stoner citou o exemplo imaginando alguém tomando uma moeda de um quarto de dólar (vinte e cinco centavos) na qual se faria uma marca. Depois espalharia no Estado do Texas 100 quatrilhões de moedas idênticas o que daria para cobrir toda a área do estado numa altura de 60 cm, mais ou menos. Então, convidamos alguém com os olhos vendados e diríamos a esta pessoa: - agora procure a moeda marcada e traga-a de volta. (http://www.cafetorah.com/node/516)

Qual seria a probabilidade dessa pessoa encontrar esta moeda? Essas eram as chances que Jesus dispunha para que se cumprisse apenas essas 8 profecias. E sabemos que essas e as outras se cumpriram nele e o cumprimento das profecias acerca do Messias que seria enviado por Deus, é a prova final necessária de que Jesus de Nazaré era de fato e de verdade, sobre quem Deus falava aos profetas.


Jesus Cristo Filho de Deus


O que significa ser "Filho de Deus"?

Durante todo o Novo Testamento, a expressão "filho de Deus" é aplicada repetidamente, no singular, apenas para Jesus, com a possível exceção de Lucas 3:38 (no final da genealogia de Jesus cuja ascendência volta até Adão), onde podia argumentar-se que Adão está implicitamente sendo chamado de filho de Deus. "Filhos de Deus" é aplicado aos outros apenas no plural. O Novo Testamento chama Jesus de "filho único de Deus" João 1:8, I João 4:9), "Seu próprio filho" Romanos 8:3). Também refere-se a Jesus simplesmente como "o filho", especialmente quando "o Pai" é usado para se referir a Deus, como na frase "a Pai e do Filho" II João 1:9, Mateus 28:19).

Filho era aquele que usufruía das posses do pai, assim como na parábola do filho pródigo, dizer que era filho era deixar implícito que este tinha direitos quanto ao pai, sendo herdeiro e compartilhando da mesma natureza. O apóstolo Paulo nos chama de "co-herdeiros com Cristo" (Romanos 8;17), evidenciando, não só em que implica o fato de Jesus ser Filho de Deus, possuindo tudo o que também pertence ao Pai, quanto explicita em que sentido isso reflete naqueles que em Jesus Cristo creem. Ser o Filho de Deus é partilhar da mesma natureza e usufruindo dos mesmo direitos e prerrogativas do Pai. Mais que isso. É, em se tratando do Deus Vivo, partilhar da mesma natureza e compartilha da mesma existência, sendo ao mesmo tempo um com o Pai e seu Santo Espirito.

Jesus Cristo o Verbo de Deus.


Para que eu conseguisse entender o que era a Santíssima Trindade, tive que criar alguma coisa que não sei se existe em algum lugar. Não é uma fórmula baseada no que está na bíblia, até por que a bíblia não se refere às pessoas de Deus como muita clareza. Como entender que um só Deus ao mesmo tempo é três?

Resolvi me explicar a trindade olhando para as três pessoas que à compõe e definindo seus nomes. Então teríamos a Existência em si mesma que agrega toda a essência e resumindo o que é pelo que simples fato de ser. Esse seria o Pai, que simplesmente É. Temos também o caráter que essa essência possui, basicamente sua personalidade, aquilo que o Pai se inclina a fazer e o move baseado na eterna e infinita sabedoria e onisciência. Esse seria o Santo Espírito que carrega aquilo que é o Pai em essência. A expressão dessa natureza sublime, o pronunciar da palavra que sai da boca de Deus, a manifestação expressiva, o ato de falar de Deus seria o Verbo, o Filho de Deus Pai e Espírito.

Então Jesus Cristo, pela minha compreensão limitada, falha e indigna de confiança, seria a manifestação verbal daquilo que Deus Pai É. É como se O Senhor Todo Poderoso Deus falando, sua palavra adquirisse Vida e criasse inclusive vida. 

Mais uma vez repito que é uma tentativa pessoal de me explicar o Deus que eu sirvo, o Espirito que habita em mim e o Filho em quem eu creio. Como não encontrei na bíblia o que fosse contra essa explicação, não vejo por que não compartilhá-la. Por favor, havendo qualquer desvio teológico ou heresia peço que me avisem e retiro esse trecho.

No mais, Esse é o carpinteiro por profissão e pregador por vocação em quem eu vivamente creio ser O Filho do Deus Vivo. Um homem como eu e você, mas que abrigou na sua essência a natureza de Deus Pai e é a manifestação de Deus. Nascido de mulher, mas que existe desde a eternidade.




Comentários